30 jan 2020
Notícias

Projeto do ICV abre mercado para a agricultura familiar

Autor: Assessoria de comunicação

Compartilhe nas redes sociais

Produtos da agricultura familiar vão ao mercadoUma iniciativa do Instituto Centro de Vida (ICV) abriu nesta semana as portas do maior centro atacadista da região Norte de Mato Grosso para diversos produtos da agricultura familiar.

Inaugurado na terça-feira (28) em Alta Floresta (790 km de Cuiabá), o Machadão ofereceu em suas gôndolas uma amostra significativa dos resultados do projeto Redes Socioprodutivas, coordenado pelo ICV com recursos do Fundo Amazônia.

A primeira remessa contou a participação de 20 produtores da Associação Guadalupe Agroecológica (AGuA), de Alta Floresta, e da Cooperativa dos Produtores Hortifrutigranjeiros (Coopervila), de Paranaita.

O carregamento incluiu mais de uma tonelada e meia de banana (nas variedades maçã, da terra e nanica), milho, jiló e pepino caipira, além de 1.200 maços de hortaliças como alface (crespa e americana), coentro, almeirão e cebolinha.

O Redes Socioprodutivas apoia e ajuda a articular associações e cooperativas de produtores que reúnem mais de 600 famílias das regiões norte e noroeste. O foco são as cadeias produtivas de hortifruti, leite, cacau, café, castanha e babaçu.

OFERTA E DEMANDA

Gôndolas do novo mercado: produtos da agricultura familiarAs negociações com o grupo atacadista começaram há cerca de seis meses, com a proximidade da conclusão das obras do centro comercial – que ocupa uma área de 30 mil metros quadrados na região central de Alta Floresta.

“Antes mesmo da chegada desse grupo, já havíamos feito um levantamento do mercado local e detectado uma demanda grande por hortaliças. O que era preciso era articular e organizar a oferta local”, avaliou Eduardo Darvin, um dos coordenadores do projeto.

O trabalho de seleção dos primeiros fornecedores levou em conta necessidades básicas do mercado, como o padrão de qualidade, escala e garantia de oferta. A regularidade no fornecimento dos produtos, explica o coordenador, é o grande desafio.

“O objetivo, nesta fase inicial, é alcançar ao menos duas entregas semanais de produtos. Para isso, precisaremos agregar mais produtores para assegurar uma oferta constante e, eventualmente, ampliá-la”, explica.

A colheita e a embalagem dos produtos é feita pelos produtores e o ICV se encarrega da coleta e o transporte até o centro comercial. Os recursos arrecadados com a comercialização serão repassados às associações e cooperativas semanalmente.

ORGÂNICOS

Produtos da agricultura familiar vão ao mercadoOutro objetivo da iniciativa é fortalecer os arranjos produtivos fundamentados na agricultura orgânica na região. Em 2019, o projeto Redes Socioprodutivas ofereceu assistência técnica, logística e jurídica para a criação da Repoama (Rede de Produção Orgânica da Amazônia Mato-grossense).

A proposta é viabilizar a certificação das propriedades da agricultura familiar a partir da implementação do chamado Sistema Participativo de Garantia, que é de baixo custo e possibilita a comercialização para terceiros.

Com demanda crescente por produtos orgânicos no Brasil, a expectativa é aproveitar o momento para divulgar a produção da região, que atualmente tem 48 propriedades em processo de certificação.

Existem ainda cerca de 30 propriedades inseridas na rede que já começaram o processo de transição. A expectativa é que, com a REPOAMA, quadruplique o número de produtores certificados na região.

“É só o começo, mas a objetivo é abrir ainda mais espaços. Quem sabe possamos ter estabelecimentos com gôndolas exclusivas para os produtos orgânicos locais?”, avalia.

LEIA MAIS:
Plano de manejo florestal para a coleta de castanha é lançado em MT
Produtores se unem em rede para impulsionar a agricultura orgânica na Amazônia

Categorias

Tags

Leia também...

© 2020 - Conteúdo sob licenciamento Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil ICV - Instituto Centro de Vida

Desenvolvido por Matiz Caboclo