Agentes de desenvolvimento cooperativista começam aulas em Alta Floresta

Agentes de desenvolvimento cooperativista começam aulas em Alta Floresta

A primeira turma de agentes de Desenvolvimento Cooperativista começou as aulas nesta semana em Alta Floresta. Até maio, 34 lideranças de cooperativas, associações comunitárias e empreendimentos populares terão acesso a estudos e ferramentas que os ajudarão a dar mais sustentabilidade a seus negócios socioambientais. O curso de Formação Inicial e Continuada é fruto da cooperação entre o Instituto Federal de Mato Grosso Campus Alta Floresta e o Instituto Centro de Vida.

“O curso foi especialmente desenvolvido para lideranças das organizações comunitárias parceiras do projeto Redes Socioprodutivas. O objetivo é formar agentes capazes de contribuir na estruturação, manutenção e fortalecimento de empreendimentos comunitários sustentáveis nas três dimensões: ambiental, social e econômica”, explica Eriberto Muller, assessor do projeto no ICV.

Lideranças em frente ao Instituto Federal de Mato Grosso Campus Alta Floresta
Lideranças participam do Curso de Formação Inicial e Continuada

Para isso, o curso foi desenvolvido a partir de três núcleos de aprendizagem. O núcleo de aprendizagem fundamental compreende conhecimentos de base científica do ensino fundamental e médio, indispensáveis ao bom desempenho acadêmico dos ingressantes. O núcleo articulador traz conhecimentos básicos para a educação profissional e o núcleo tecnológico lida com conhecimentos e ferramentas específicas para o trabalho como agente de desenvolvimento cooperativista.
Serão 11 disciplinas relacionadas aos três núcleos, ministradas em cinco módulos até o mês de maio. Todas as disciplinas têm conhecimentos e práticas aplicadas à realidade das associações e cooperativas. Os aprendizados vão incluir comunicação, informática, gestão e facilitação de grupos, educação para sustentabilidade, análise econômica, planos de negócios e legislação. Além das aulas presenciais, serão realizadas atividades nas comunidades, permitindo o exercício prático dos conteúdos aprendidos.

“Esse curso é fundamental para o projeto Redes Socioprodutivas. Esperamos que ele ofereça um espaço de construção e troca de conhecimentos fundamentais para a sustentabilidade dos empreendimentos que apoiamos” reforça Camila Rodrigues, coordenadora do projeto Redes.

O projeto Redes Socioprodutivas é uma iniciativa do Instituto Centro de Vida apoiado pelo Fundo Amazônia/BNDES. Iniciado em janeiro de 2018 possui previsão de execução de 30 meses e foco em seis cadeias socioprodutivas: castanha-do-brasil, babaçu, hortifrutigranjeiros, leite, cacau e café. A iniciativa atua diretamente com associações e cooperativas de agricultores familiares da região Norte e Noroeste de Mato Grosso, nos municípios de Alta Floresta, Colniza, Cotriguaçu, Paranaíta, Nova Monte Verde e Nova Bandeirantes.

Veja também:

Intercâmbio com empreendimentos comunitários e quebradeiras de coco Babaçu

Cem pessoas participam de Dia de campo sobre produção orgânica