Princípios de Atuação

Para cumprir nossa missão, orientamos nosso trabalho de acordo com os seguintes príncípios:

•    Embasamento técnico-científico: A atuação e tomada de decisão na área socioambiental requer bases de informação e análises consistentes, abrangendo os diversos campos das ciências naturais e humanas, bem como a consideração dos conhecimentos tradicionais. Visando atender essa demanda, buscamos gerar novos conhecimentos com base no desenvolvimento da capacidade técnica do nosso quadro de colaboradores, na consolidação de parcerias com instituições de pesquisa e no constante aprimoramento da qualidade dos nossos trabalhos;

•    Diálogo com os diversos segmentos da sociedade: As problemáticas socioambientais abrangem a sociedade como um todo. Geralmente, vão além de um determinado grupo ou local e envolvem uma variedade de atores sociais, em diferentes níveis. Com essa visão, buscamos promover a construção de propostas e soluções com base no diálogo e na participação dos diferentes grupos sociais, em parceria com outras organizações e movimentos sociais, instituições de pesquisa, órgãos governamentais e representações do setor privado, mantendo sempre a nossa independência;

•    Transparência da informação: A ampla disseminação e disponibilização de informações transparentes à sociedade é um fator-chave na proteção efetiva do meio ambiente, no empoderamento para o controle social e na construção de soluções sustentáveis. Por esse motivo, procuramos atuar como centro difusor de informações consistentes sobre as questões socioambientais, ao mesmo tempo em que mantemos uma divulgação transparente de nossas próprias atividades;

•    Ética e responsabilidade: Lidar com questões socioambientais, buscando realizar uma missão de interesse público, significa responsabilidade perante as gerações atuais e futuras, o que exige um compromisso ético pleno. Assim, procuramos manter e desenvolver cada vez mais esse compromisso, aplicando o princípio de precaução, tanto internamente, quanto com nossos parceiros e com a sociedade;

•    Justiça ambiental: Os benefícios gerados a partir da exploração dos recursos naturais não são repartidos de forma equitativa na sociedade, e por outro lado os desequilíbrios socioambientais oriundos da exploração dos recursos naturais afetam de modo desigual os diferentes grupos da sociedade. Por esse motivo, buscamos nos posicionar e atuar de forma a favorecer uma maior justiça ambiental, isto é, uma distribuição mais equitativa dos benefícios e dos ônus da utilização dos recursos naturais.