23 mar 2009
Notícias

Segundo módulo do ASA Manito acontece com práticas agroflorestais em Marcelândia

Autor: Assessoria de comunicação

Compartilhe nas redes sociais
“Tenho certeza que esse curso vai me trazer várias coisas importantes. Já passamos por dois módulos e a experiência já foi muito grande.” disse Dinho, agricultor familiar assentado no Ena. Ele é um dos 25 participantes do ASA Manito (Curso de Formação de Agentes Socioambientais da bacia do rio Manito). O ASA Manito é uma ação em prol da Campanha Y Ikatu Xingu, que busca conservar as nascentes e matas ciliares da bacia do rio Xingu.
Junto com Dinho (Edevaldo Melek) também participam agricultores representantes de associações, estudantes e professores de municípios que têm áreas dentro da bacia do rio Manito (ou Manissauá-Miçu). A capacitação dos Agentes Socioambientais é voltada para pessoas com algum envolvimento com a Campanha Y Ikatu Xingu, para que o potencial de cada um seja ampliado dentro da ação que já realizam.
Entre os dias 3 e 6 de março, aconteceu o segundo módulo do ASA Manito. O primeiro foi focado na percepção do indivíduo sobre si mesmo, o módulo de março abordou o indivíduo dentro dos grupos. Desenvolver essa percepção ajuda na atuação de mobilizadores, de representantes sociais interessados no bem comum.
José Alesando Rodrigues, do ICV – Instituto Centro de Vida, realizador do evento juntamente com o ISA – Instituto Socioambiental, percebeu um efeito gradativo na percepção de todos. “As atividades com sistemas agroforestais e a percepção do que é ser um agente socioambiental vem aflorando a cada atividade”, diz ele..
Nos dois encontros aconteceram atividades agroflorestais práticas. No primeiro foram plantadas algumas experiência de agrofloresta. Uma delas associando hortaliças com árvores e outra mesclando mandioca com árvores. Nesse segundo módulo os participantes conferiram o desenvolvimento do que foi plantado em novembro de 2008. A agrofloresta foi manejada, algumas plantas podadas para que outras se desenvolvam e fizeram o reforço da adubação verde. Num segundo momento, os ASA tomaram partes da mata ciliar do rio Manito, em quadrados de dez metros por dez e fizeram o levantamento de espécies que se encontram nessas áreas. Depois os resultados foram apresentados na plenária na Câmara de Vereadores de Marcelândia.
Para Luciana Deluci, do ISA, esse é “um grupo em que mesmos os muitos jovens já tém uma postura voltada a ação, e um grande compromisso com sua comunidade, com isto esperamos que muitos conceitos e práticas com que estamos trabalhando se transformem em importantes iniciativas socioambientais para sub bacia do Manito”.
Galeria de Imagens: clique para ver em tela cheia

Tags

Leia também...

© 2020 - Conteúdo sob licenciamento Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil ICV - Instituto Centro de Vida

Desenvolvido por Matiz Caboclo