21 set 2022
ORGANIZAÇÃO PARTICIPATIVA

Associados e associadas da Repoama se reúnem em assembleia e discutem nova diretoria

Autor: Assessoria de Comunicação

Compartilhe nas redes sociais

Agricultores e agricultoras familiares de municípios do norte e noroeste de Mato Grosso participaram na última semana da assembleia anual da Rede de Produção Orgânica da Amazônia Mato-grossense (Repoama), realizada em Nova Bandeirantes.

Entre as pautas discutidas estão o balanço da gestão passada, a votação para uma nova chapa, esclarecimentos sobre o Fundo Rotativo Solidário (FRS) e sobre o estatuto e o regimento da rede.

Rodrigo Alves da Silva foi reeleito como coordenador-geral, Eliane da Silva Costa como primeira tesoureira e Marcia Pereira da Silva como primeira secretaria.

“Um dos objetivos do encontro foi formalizar uma nova coordenação para a Repoama. Continuamos com a mesma chapa e mudamos apenas alguns nomes. Eu que já era coordenador na gestão passada, continuei no cargo”, explicou Rodrigo.

O técnico do Programa de Negócios Sociais do Instituto Centro de Vida (ICV), Jessé Carvalho, disse que mais pessoas, principalmente no núcleo familiar dos associados, demonstraram interesse em se associar a rede no último ano e fazer parte da pauta sobre produção orgânica da região da Amazônia mato-grossense.

“O público da Repoama já é um público diferenciado, mas é notável que quanto mais a rede tem tempo de ação, se percebe mais a interação das pessoas e a participação delas nos eventos para discussão sobre a temática”.

Atualmente, a Repoama é composta por agricultores e agricultoras familiares dos municípios de Alta Floresta, Colniza, Cotriguaçu, Nova Bandeirantes, Nova Monte Verde e Paranaíta. O principal objetivo da rede é o fomento a produção orgânica a partir da organização participativa.

Fundo Rotativo

O Fundo Rotativo Solidário (FRS) é um mecanismo de financiamento disponibilizado para associados da Repoama. Por meio dele, os agricultores e agricultoras têm acesso facilitado a crédito e podem utilizar o dinheiro para benfeitorias em suas propriedades.

Ele foi colocado em pauta na assembleia por ter sido implementado há aproximadamente um ano. O balanço apresentou que até agora, foram liberados R$250 mil para a agricultura familiar da região. A expectativa é que até o final de 2022 sejam disponibilizados mais R$57,7 mil.

“Pessoas simples, sem condições de acessar um banco e adquirir esse crédito, podem fazer investimentos nas suas propriedades, tanto na produção, quanto para o bem viver da família, uma reforma na casa, essas coisas”, disse Rodrigo.

Repoama

A certificação orgânica da produção da agricultura familiar é capaz de garantir fonte de renda segura e qualidade de vida às famílias rurais e ao mesmo tempo colaborar para a manutenção da floresta em pé.

A Repoama partiu de uma iniciativa do Instituto Centro de Vida (ICV), com financiamento do Programa Global REDD Early Movers (REM), por meio do projeto Agroecologia em Rede.

As atividades do projeto incluem suporte na elaboração de planos de manejo orgânico, assessoria técnica nas propriedades, assessoria administrativa, capacitações, divulgação e articulação com parceiros para viabilidade econômica das atividades.

 

 

Galeria de Imagens: clique para ver em tela cheia

Tags

Leia também...

© 2020 - Conteúdo sob licenciamento Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil ICV - Instituto Centro de Vida

Desenvolvido por Matiz Caboclo