Dados do ICV são base para análise sobre o CAR em artigo científico

Dados do ICV são base para análise sobre o CAR em artigo científico

Bases cartográficas do Instituto Centro de Vida (ICV) foram utilizados nas análises de artigo publicado nos anais da Associação Brasileira de Agroecologia no começo deste ano. O trabalho avaliou a situação e a qualidade das informações geográficas apresentadas no Cadastro Ambiental Rural (CAR) de propriedades rurais familiares localizadas em uma microbacia hidrográfica no município de Carlinda, norte de Mato Grosso.

A área está dentro do Projeto de Assentamento Conjunto Carlinda, criado pelo Instituto Nacional da Reforma Agrária (Incra) em 1981. No conjunto de 113 imóveis analisados, as principais atividades são a pecuária, a produção de milho, café e cana-de-açúcar. A partir de análise comparativa dos dados do ICV com os dados ainda disponíveis no Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural (SICAR) foi possível identificar a não-declaração no CAR por 17% dos imóveis rurais, ou seja, 634,8 hectares sem dados geoespaciais, representando 21,5% da área total da microbacia.

A análise aponta também imprecisão no traçado da rede hidrográfica e dados com falhas de digitalização. Com isso, apenas 35 imóveis apresentaram áreas de preservação permanentes (APP) no CAR, o que resulta em um percentual de 72% a menos relação ao total de APPs existentes na microbacia. O estudo concluiu que os dados geoespaciais disponíveis na base do SiCAR apresentam potencial de uso para o planejamento e gestão de propriedades rurais, mas desde que haja eficiência e rigor na análise destas informações.

“Isto nos mostra que a qualidade das informações geográficas que estamos produzindo aqui no ICV é de alta confiabilidade”, aponta Vinícius de Freitas Silgueiro, coordenador do Núcleo de Geotecnologias do ICV.

O artigo “O Cadastro Ambiental Rural na Gestão de Propriedades Rurais Familiares de uma Microbacia no Portal da Amazônia/MT” foi apresentado no Agroecol 2018, realizado em Campo Grande-MS em novembro de 2018. Os autores são Diego Ruiz Soares, Adriana Cavalieri Sais, Renata Evangelista Oliveira, da Universidade Federal de São Carlos e Vinícius de Freitas Silgueiro, coordenador do Núcleo de Geotecnologias do ICV.

Clique aqui e confira o artigo.