Juntos pelo direito ao meio ambiente equilibrado e à vida!

Juntos pelo direito ao meio ambiente equilibrado e à vida!

Artigo 225 – Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.

Há 27 anos o Instituto Centro de Vida busca incessantemente contribuir para garantir o respeito e para colocar em prática o que diz o Artigo 225 da Constituição Cidadã de 1988. Isso porque acreditamos e reconhecemos a importância do ambiente ecologicamente equilibrado para a permanência da vida na Terra nas formas como a conhecemos. Vida, em nosso nome, simboliza este compromisso desde nossa origem, no começo da década de 1990.

Acreditamos e trabalhamos para que todos tenham direito à terra e ao uso sustentável de seus recursos naturais, bens de uso comum de todo o povo: indígenas, quilombolas, populações ribeirinhas, agricultores e agricultoras familiares, populações urbanas, empresários rurais.

Orientados por estes princípios, vivenciamos momentos de grandes realizações nestas quase três décadas, alcançando vitórias na luta pela promoção da sustentabilidade e da qualidade de vida em Mato Grosso.

Participamos da criação do Fórum Mato-grossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Formad), espaço de articulação e fortalecimento da sociedade civil. Engajamos comunidades do entorno de áreas protegidas em ações de educação ambiental. Fizemos campanhas de alerta sobre os riscos do fogo e dos incêndios florestais.

Trabalhamos pela preservação das nascentes da Bacia do Xingu, pela recuperação nascentes e áreas degradadas, pela a criação de planos de manejo de áreas protegidas. Desenvolvemos inúmeras iniciativas de difusão de práticas sustentáveis tanto para a agricultura familiar quanto para médios e grandes pecuaristas, mostrando que é possível produzir de forma rentável sem desmatamento.

Estabelecemos uma rotina de exercício da cidadania através do controle social do desmatamento e da gestão ambiental e florestal em Mato Grosso. Colaboramos com a construção participativa de políticas públicas e salvaguardas para a aplicação destas políticas. Participamos ativamente da construção de caminhos para adaptação e mitigação dos impactos das mudanças no clima.

Certamente vivenciamos momentos de frustrações em lutas perdidas ao longo desta jornada. Mas estes momentos serviram para valorizar e redobrar nosso esforço. Ao longo desses anos, tivemos a felicidade de compartilhar a caminhada com muitos parceiros que lutam conosco na busca para tornar Mato Grosso uma referência em governança socioambiental e de produção sustentável.

As tensões políticas dos últimos dois anos e as declarações controversas ao longo da campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro nos deixam dúvidas e incertezas sobre quais serão as políticas e programas relacionados à agenda socioambiental nos próximos anos em nível federal. Isto reforça a necessidade de intensificar nosso trabalho e de seguirmos lutando ativamente para construir soluções compartilhadas de sustentabilidade para todos.

Fazemos isto motivados pelo Artigo 225 da Constituição Federal. É dever do Poder Público garantir o meio ambiente equilibrado para todos. Assim como é dever da sociedade defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. É o que vimos fazendo desde 1991. E continuaremos fazendo sempre.