22 fev 2017
Notícias

Sociedade civil repudia redução de áreas protegidas na Amazônia

Autor: Assessoria de comunicação

Compartilhe nas redes sociais
Galeria de Imagens: clique para ver em tela cheia

Um grupo de 21 organizações socioambientais, entre elas o Instituto Centro de Vida (ICV), divulgou nesta semana um manifesto contra uma proposta que o governo federal pretende encaminhar para o Congresso recorta Unidades de Conservação localizadas no sul do Amazonas, tirando a proteção legal mais de um milhão de hectares. O pedido que ameaça as áreas em questão partiu de políticos do estado, endereçado diretamente ao ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.

A proposta pretende extinguir a Área de Proteção Ambiental (APA) de Campos de Manicoré, e reduzir drasticamente outras quatro Unidades de Conservação: o Parque Nacional (Parna) de Acari, a Reserva Biológica (Rebio) de Manicoré, as Florestas Nacionais (Flonas) de Urupadi e Aripuanã, na região de Apuí, no sul do Amazonas.

O documento informa que, se aprovada, a proposta colocaria em risco não só a biodiversidade e as metas e compromissos assumidos pelo Brasil no combate às mudanças climáticas, mas também o futuro hídrico e econômico do país já que a Amazônia fornece água suficiente para abastecer grande parte da população brasileira e, ainda, o agronegócio.

A nota de repúdio foi encaminhada ao presidente Michel Temer, aos ministros Sarney Filho, do Meio Ambiente, e Eliseu Padilha, da Casa Civil e aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia e do Senado Federal, Eunício Oliveira.

Leia o documento na íntegra aqui.

Tags

Leia também...

© 2020 - Conteúdo sob licenciamento Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil ICV - Instituto Centro de Vida

Desenvolvido por Matiz Caboclo