31 jul 2015
Notícias

Alerta sobre agrotóxicos e importância dos recursos hídricos são temas de oficina a educadores do campo

Autor: Assessoria de comunicação

Compartilhe nas redes sociais
Professores incorporaram personagens para debater a questão do agrotóxico. Foto: Sucena Shkrada Resk/ICV

Professores incorporaram personagens para debater a questão do agrotóxico. Foto: Sucena Shkrada Resk/ICV

Nove professores da Escola do Campo Aldovandro da Rocha Silva, no Projeto de Assentamento Nova Cotriguaçu, em Cotriguaçu, no noroeste mato-grossense, Amazônia, destinaram a tarde do último dia 27 de julho para atividade de formação continuada. Durante o período, obtiveram informações e refletiram sobre os perigos dos agrotóxicos à saúde e a importância dos recursos hídricos na região, no contexto do desmatamento e de projetos de usinas hidrelétricas na Bacia do Tapajós, que representam 25% do que é programado para toda a Amazônia, e onde fica o rio Juruena, principal curso d`água na região. Esta é a terceira oficina com temáticas socioambientais das quais participam desde o mês de maio. As anteriores foram sobre solo e agroecologia.

O recurso da encenação teatral, que é uma ferramenta útil para o dia a dia em sala de aula, possibilitou que cada um incorporasse um personagem, como o representante da associação de pequenos produtores rurais, o vendedor do produto, o próprio produtor, o enfermeiro e o observador. Dessa forma, discutiram a cadeia de relações que envolve o mercado de defensivos químicos agrícolas e a necessidade de maior conhecimento da sociedade a respeito.

Durante a dinâmica, receberam o alerta sobre a importância da floresta em pé para a manutenção do regime hídrico, ao assistir um vídeo com palestra do pesquisador Antonio Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O especialista, durante sua exposição, explica que trata-se de um potencial de produção de 20 bilhões de toneladas de água por dia. Uma realidade ameaçada por uma Amazônia que hoje já mantém uma estação seca.

Processo de implementação de hidrelétricas foi explicado aos educadores. Foto: Sucena Shkrada Resk/ICV

Processo de implementação de hidrelétricas foi explicado aos educadores. Foto: Sucena Shkrada Resk/ICV

Os educadores também foram esclarecidos de que o processo que antecede a construção de qualquer usina hidrelétrica deve ser constituído por diferentes etapas, que envolvem a população, com reuniões com a comunidade, audiência pública, oitiva indígena, licença prévia, licença de instalação e de operação.

A oficina foi ministrada pela equipe do Instituto Centro de Vida (ICV) e integra o projeto Cotriguaçu Sempre Verde – Fase II, que busca consolidar uma nova trajetória de desenvolvimento municipal, pautada na construção de soluções sustentáveis de produção e governança socioambiental. O projeto iniciado em 2011 tem o apoio do Fundo Vale.

Veja também:

Cotriguaçu: solo é foco de segunda capacitação de educadores de escola do campo

Professores de escola do campo fazem imersão na agroecologia

 

Categorias

Tags

Leia também...

© 2020 - Conteúdo sob licenciamento Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil ICV - Instituto Centro de Vida

Desenvolvido por Matiz Caboclo