ICV realiza eventos sobre pecuária sustentável durante exposição agropecuária de Alta Floresta

ICV realiza eventos sobre pecuária sustentável durante exposição agropecuária de Alta Floresta

Foto: Eduardo Florence / ICV
Foto: Eduardo Florence / ICV

Andrés Pasquis / ICV

O melhoramento genético da pecuária, a implantação do componente florestal na intensificação de pastagens e as alternativas de combate à síndrome da morte das brachiarias foram os principais temas abordados durante palestra e dias de campo de Boas Práticas na Pecuária, organizados pelo Instituto Centro de Vida (ICV) e parceiros, como parte da programação técnica da 28ª Exposição e Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Alta Floresta, a Expoalta.

No último sábado (24), cerca de cem pessoas participaram do 2° Dia de Campo do ICV, realizado na Fazenda Bevilaqua, onde foram abordados temas sobre melhoramento genético e cruzamento industrial; instalações rurais e implantação do componente florestal na intensificação de pastagens, Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) como ferramenta para aumentar a produtividade da cria e agregar valor à produção, além de visita a duas estações, uma em área intensificada com instalações e componente florestal, e outra nas remangas do curral, com animais nelore e nelore/angus.

A intensificação e manejo de pastagens faz parte de um ciclo lógico e integrado de elementos que permitem melhorar a eficiência da propriedade. Essa ação pode representar um aumento significativo da produtividade em uma menor área, diminuindo a pressão sobre os recursos naturais: solo, floresta e água.

Vando Telles de Oliveira, coordenador da Iniciativa Pecuária Integrada do ICV, explica que para obter melhores resultados, é preciso entender que todos os componentes das boas práticas são cruciais e ligados uns aos outros. “Não se trabalha com medidas sustentáveis na pecuária só para atender à legislação vigente. Conciliar produção e preservação, para uma pecuária intensificada com uma boa gestão dos recursos naturais é questão de sobrevivência para o futuro da atividade na região. É possível responder a demanda presente produzindo cada vez melhor e com mais eficiência dentro da porteira”, reforçou o coordenador.

Na segunda, dia 26, na tenda de conferências da Expoalta, aconteceram duas palestras. A primeira, ministrada por Moacyr Bernardino Dias Filho, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, abordou a degradação, recuperação e reforma de pastagens em regiões tropicais. Na sequência, Filipe Lage Bicalho, consultor do projeto de pecuária do ICV, apresentou os dados de campo dos primeiros dois anos.

No dia seguinte, 27, aconteceu o 3° Dia de Campo do ICV, na Fazenda Maringá, onde cerca de 300 pessoas puderam saber mais sobre a síndrome da morte das brachiarias. O pesquisador Moacyr apresentou as atualizações sobre a síndrome da morte súbita das brachiarias e principais alternativas. Na sequência, Bruno Pedreira e Carneiro, pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril, demonstrou alguns resultados regionais de avaliação da síndrome. Os participantes puderam ver, no campo, experimento de avaliação das variedades de pastagens implantadas. Esse evento foi realizado em conjunto com a Unemat e a Embrapa.

Eduardo de Azevedo Florence, coordenador do projeto do ICV, ressaltou que essas palestras marcam uma nova etapa no evento anual da cidade, a Expoalta. “A Exposição, núcleo de negócios agropecuários e entretenimento, é agora, também, um centro de difusão de conhecimentos e tecnologias para uma atividade mais produtiva e sustentável”, disse o coordenador.

A Expoalta começou no dia 27 de maio e segue até 1º de junho, no Parque de Exposições de Alta Floresta.

O Projeto

O projeto Pecuária Integrada de Baixo Carbono tem como objetivo contribuir para desenvolver uma agenda de municípios sustentáveis por meio da implantação de um programa de Boas Práticas Agropecuárias com ênfase em uma economia de baixa emissão de carbono. O projeto é desenvolvido pelo ICV, com apoio do Fundo Vale e da Fundação Moore e tem como parceiros a Embrapa, o Sindicato Rural e a Prefeitura Municipal de Alta Floresta.