29 mar 2012
Notícias

Equipe do ICV visita áreas recuperadas em comunidades da Bacia do Alto Paraguai

Autor: Assessoria de comunicação

Compartilhe nas redes sociais
Galeria de Imagens: clique para ver em tela cheia

– Gustavo Nascimento e Daniela Torezzan / ICV

Atividades na região estão sendo retomadas através de um novo projeto

Na última segunda-feira (26) uma equipe do Instituto Centro de Vida (ICV) esteve nas comunidades de pequenos agricultores do Alto Paraguai e Diamantino, municípios que integram a Bacia do Alto Paraguai.

A visita teve três objetivos principais. O primeiro foi verificar o resultado das ações de recuperação de matas ciliares através do plantio de agroflorestas, desenvolvidas entre 2009 e 2010 no âmbito do projeto Protegendo as Nascentes do Pantanal, financiado pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN – sigla em inglês).

O segundo objetivo foi justamente intercambiar essas experiências buscando agregar conhecimentos aos outros projetos que o ICV vem executando, como o Cotriguaçu Sempre Verde, desenvolvido na região noroeste do estado.

Por fim, os técnicos que vão se executar um novo projeto do ICV na região puderam conhecer o local, entender os desafio e estabelecer contato com as pessoas que serão parceiras locais.

Para conseguir realizar esses propósitos, o ICV contou com a colaboração dos agricultores locais, como foi o caso de Adolfo Quirino Oliveira. O Seu Adolfo mostrou a propriedade e contou como ela foi recuperada, ressaltando que, em cerca de dois anos, a área já se tornou praticamente outra, com uma vegetação muito mais rica do que havia sido planejado inicialmente. “Boa parte dessas árvores que vocês estão vendo, foram os passarinhos que me ajudaram a construir já que, como o reflorestamento, eles passaram a me visitar bem mais do que antigamente. A goiabeira mesmo, eu não plantei goiaba aqui, mas eles me deram de presente,” afirmou o seu Adolfo ao se referir a Área de Preservação Permanente (APP) reflorestada.

O filho do seu Adolfo e também pequeno agricultor Adelson Oliveira, contou que no começo seu pai se mostrou relutante em participar do projeto por afirmar que seria muito desgastante e trabalhoso. “Meu pai falou que não daria conta, mas, até hoje, ele é quem gerencia tudo. O trabalho, inclusive, virou uma terapia pra ele”, afirmou Adelson ao relatar também que o resultado mais relevante de todo o projeto foi a melhoria da água. “O maior bem que fez para nós foi a qualidade da água, depois é que veio a melhoria na qualidade e quantidade dos frutos que podem gerar até uma renda pra nós no futuro”, concluiu.

Um novo projeto

Essas atividades na região da Bacia do Alto Paraguai estão sendo retomadas através de um novo projeto do ICV, Conservação das cabeceiras do Paraguai através da melhoria dos sistemas produtivos da agricultura familiar, financiado pela Ecossystem Alliance, representada na visita por Heleen van den Hombergh.

Desta vez, a proposta vai um pouco além da recuperação das APPs e visa fomentar as boas práticas agropecuárias na região e valorizar as atividades sustentáveis como apicultura, coleta de sementes e produção de mudas nativas, através de cursos de capacitação e elaboração de estudos que possam subsidiar essas ações.

Tags

Leia também...

© 2020 - Conteúdo sob licenciamento Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil ICV - Instituto Centro de Vida

Desenvolvido por Matiz Caboclo