Uma experiência de restauro florestal no norte mato-grossense

Uma experiência de restauro florestal no norte mato-grossense

Por Diego Antonio Ottonelli de Bona, analista de gestão ambiental do ICV

Em agosto, ao completar dois anos de atividades, chega o momento de compartilhar as experiências da restauração florestal que o ICV vem realizando, deixando disponível para consulta e download em nosso site um relatório que contempla as atividades de recuperação executadas em áreas degradadas em Alta Floresta, Carlinda e Paranaíta, no norte mato-grossense.

Foram dois anos de intensas atividades, amadurecimento e quebra de alguns tabus importantes para que os processos de restauração acontecessem, chegando hoje com a sensação de que estamos no caminho certo e que temos muito a contribuir com o meio ambiente dentro das propriedades rurais.

O relatório traz informações importantes, como espécies utilizadas, metodologias de plantio, além de trazer os dados de custos, o fator que mais pesa na hora de fazer plantios em Áreas de Preservação Permanente (APP).

Há algum tempo, o ICV vem trabalhando para desenvolver metodologias de restauração florestal em larga escala na Amazônia, visto a quantidade de passivos que há no Mato Grosso, podendo assim, contribuir com a população dos municípios onde atuamos.

Além do olhar para a questão ambiental, temos o interesse quanto ao benefício social. A água é um bem da sociedade e quando recuperamos córregos e nascentes ajudamos a preservar os recursos hídricos importantes para o futuro do planeta.